Digite uma palavra-chave

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Em MESTRE ALVARO - SERRA-ES - BRASIL

DESTINO: o topo da montanha MESTRE ÁLVARO na cidade de Serra-ES. (clique no título e assista o vídeo

 A HISTÓRIA A MONTANHA


Os antigos moradores da Serra contam que o Mestre Álvaro recebeu este nome porque ali morava um mestre de carpintaria, ou professor, de nome Álvaro e sempre que alguém desejava algum serviço dele, dizia: "Vou no Morro do Mestre Álvaro". Outros explicam que ele serve de orientação aos pescadores, que se sentem seguros de seguirem pelo mar até que mantenham ao alcance dos olhos o topo do mesmo, que chamam de "Mestre Álvaro.”
Outra versão é que, pela altitude do monte é comum seu topo estar sempre coberto por nuvens. Por essa característica muitos o chamavam de “Monte Alvo” que, com o tempo tornou-se, Monte Álvaro e por ser guia de Navegação, os pescadores o batizaram de "Mestre Álvaro". 
Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Mestre_%C3%81lvaro



CARACTERÍSTICAS

O Mestre Álvaro é considerado uma das maiores elevações litorâneas (planalto) da costa brasileira[carece de fontes] e abriga uma das últimas áreas de Mata Atlântica de altitude do Espírito Santo. É uma formação rochosa de origem vulcânica com cerca de 833 metros de altitude no Estado do Espírito Santo.
Tem-se uma vista panorâmica de toda a Região Metropolitana de Vitória e região de montanhas, e de lá avista-se os municipios de Vitória, Vila Velha, Serra, Cariacica, Santa Leopoldina, Fundão, Viana, e parte de Domingos Martins, além de uma bela vista do oceano Atlântico.
O Mestre Álvaro é um maciço granítico que, devido à sua altura e posição, tem servido à navegação marítima há séculos. Ele é citado em documentos cartográficos do século XVI. Possui um bosque rico em fauna e flora nativas e algumas cavernas.
Está localizado no município da Serra, que faz parte da região metropolitana da Grande Vitória. Possui 3.470ha e uma variação altimétrica de 100 a 850 m. Situa-se entre as coordenadas de 20º 08´ 32 “e 20º 11´ 28” S e 40º 07´ 42 “e 40º 19´ 44” W.
De acordo com a classificação fitogeográfica do IBGE (1987), a vegetação predominante é a floresta ombrófila densa submontana. No entanto, a maior parte da área está, atualmente, coberta por pastagens, e a vegetação nativa, ainda que alterada, está restrita às áreas de difícil acesso.
 Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Mestre_%C3%81lvaro

O CONVITE

Meu filho Thiago soube pelo Facebook que uma turma de trilheiros ria fazer uma subida organizada na montanha Mestre Alvaro na Serra no feriado dia 07 de setembro e comentou sobre o que seria uma aventura interessante.

NOSSA EXPERIÊNCIA COM AS MONTANHAS

Faço caminhada na praia há anos como hobby e até fiz há uns anos os Passos de Anchieta (clique e assista o vídeo), mas subir montanhas minha experiência era quase nenhuma, salvo pelo fato de ter subido uma vez em Vila Velha a montanha chamada Morro do Moreno (clique no título e assista o vídeo) e no verão de 2011 a geleira Martial em Ushuaia na patagônia argentinaMartial em Ushuaia na patagônia argentina. (clique no título e assista o vídeo) 

Glaciar Martial


Morro do Moreno

 
A PARTIDA
De pé as 5h, mochila arrumada fomos para Serra sede e as 7:20 iniciamos nossa aventura diante da igrejinha da sede.



A ORGANIZAÇÃO DISPONIBILIZOU UM ÔNIBUS ATÉ O PÉ DA MONTANHA, MAS PARECIA MUITA GENTE PARA POUCO TRANSPORTE ... FOMOS A PÉ!




  
QUE LEVAMOS NA MOCHILA

Usamos camisa de malha, short para caminhada com bermuda térmica, óculos de sol e chapéu e na mochila bananas, barras de cereais, água, papel higiênico, pomada para lesões musculares e capa de chuva e um par de chinelos.

O CALÇADO ADEQUADO

Se for numa aventura semelhante, use tênis ou bota adequada para terrenos acidentados, mas é importante que seja usada, não arrisque enfrentar a montanha com um calçado novo pois isso pode acabar com seu passeio.

A ÁGUA

Levamos um litro dágua potável, mas mesmo usando com moderação e abastecendo no meio da montanha, iniciamos nossa descida sem uma gota de água.


Antes da montanha passamos em frente a um parque lindo.






A TRILHA
Chegamos ao pé da montanha, temperatura amena e um ventinho gostoso.





A TRILHA 
A partir dali a trilha se estreitou e foi ficando cada vez mais íngreme e para frente mais parecia uma escada interminável feita de pedras e raízes retorcidas.





O CANSAÇO COMEÇA A ABATER OS TRILHEIROS E ALGUNS DESISTEM ATÉ QUE DEPOIS DE UMAS DUAS HORAS DE SUBIDA E ALGUMAS CURTAS PARADAS PARA DESCANSAR CHEGAMOS A UMA BICA.




uma das paradas foi a sombra de uma jaqueira



QUANDO ESTÁVAMOS BEBENDO AQUELA ÁGUA, UM DOS ORGANIZADORES DISSE QUE ESTÁVAMOS QUASE NO MEIO DA SUBIDA ... PENSEI COMIGO F..DEU! ....rs




 DALI  PAR ACIMA FOMOS ANDANDO E PARANDO ... MÚSCULOS MOSTRANDO CANSAÇO E NA CABEÇA O PENSAMENTO INSISTENTE ... PARE!



 NÃO PARAMOS E NO TOPO A COMPENSAÇÃO - O VISUAL INCRÍVEL




A MONTANHA NOS TROUXE VÁRIAS LIÇÕES ... ELAS É COMO A VIDA, ENFRENTA-LA COM PLANEJAMENTO AJUDA BASTANTE ... ALGUNS MOMENTOS DE DOR E LÁGRIMAS E MUITOS DE ALEGRIA E SORRISOS ... CHEGAR AO TOPO DÁ UMA INEXPLICÁVEL SENSAÇÃO DE ALEGRIA, MAS A FELICIDADE ESTÁ DE VERDADE MESMO NA CAMINHADA ....









QUATRO HORAS PARA SUBIR E TRES HORAS PARA DESCER JÁ INCLUÍDAS AS PARADAS ... VALE A PENA!


Bom passeio e até a próxima dica.

André Neves e Marta Neves
aventureiros



.

Quem Somos

Somos uma família, gostamos muito de viajar e resolvemos compartilhar nossas aventuras com todos vocês .... rs. Nossa proposta é compartilhar as nossas aventuras e ao mesmo tempo fornecer informações que inspirem os leitores e que os ajudem no planejamento de suas viagens.

Mais Lidos

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *